Publicidade


Notícias


Pesquise


Onda de frio extremo continua e Tempestade Roani se forma no Sul chamando a atenção do mundo e trazendo ventos fortes e mar muito agitado Clima

Onda de frio extremo continua e Tempestade Roani se forma no Sul chamando a atenção do mundo e trazendo ventos fortes e mar muito agitado

por Administrador 29-06-2021 há 2 mêses 3041

  • Tweet

Publicidade

O dia mais frio do ano no Brasil foi registrado em Santa Catarina nesta terça-feira (29) e de acordo com a Defesa Civil de Santa Catarina, com a atuação de uma intensa massa de ar frio, a condição para temperaturas baixas se mantém no Estado no decorrer desta semana. Nesta terça, o município de Bom Jardim da Serra obteve a menor temperatura: -7,5°C, às 7h. Conforme a Defesa Civil de Santa Catarina, em Urupema a mínima foi de – 6,5°C; em Urubici foi de -5,3°C e em São Joaquim foi de -4,1°C.

A primeira neve do ano em solo catarinense aconteceu em São Joaquim, na Serra catarinense, nesta segunda-feira. Também nesta segunda, a neve caiu em locais pouco acostumados ao fenômeno como o Noroeste da província de Buenos Aires e o Sul da província de Santa Fé, na Argentina.

Nesta terça-feira (29), as máximas passaram dos 14°C no Litoral e Vale do Itajaí. E o amanhecer de quarta-feira (30) também será de frio intenso e formação de geada ampla no Estado. As mínimas ficam próximas ou abaixo de 0°C entre o Extremo Oeste e os Planaltos e variam de 2°C a 6°C nas demais áreas.

A partir de quinta-feira (1º), as temperaturas aumentam gradualmente, mas o frio ainda deve persistir nos períodos da noite e da manhã.


Ciclone deixa mar agitado e causa alagamentos costeiros

Um ciclone no mar na altura do Rio Grande do Sul favorece condições para ventos fortes, com rajadas em torno de 80 km/h na região do oceano. Por isso, há risco de mar muito agitado no Litoral catarinense entre esta terça e quarta-feira.

As ondas são de direção Sul e altura de 2,5 metros a 3 metros entre o Litoral Sul e a Grande Florianópolis, com picos de até 3,5 metros no Litoral Sul.

Assim, o risco para ocorrências associadas ao mar muito agitado e ressaca é alto na área em laranja do mapa abaixo e moderado na área em amarelo.


Ciclone e onda de frio: Entenda o que está acontecendo com o clima em SC

Entre a tarde e noite de segunda-feira (28), um intenso sistema de baixa pressão — que se formou junto à frente fria que derrubou as temperaturas em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul — adquiriu características atípicas e se transformou em um ciclone subtropical no Sul do Uruguai.

O ciclone se afastou da poderosa onda de frio e se tornou independente da trajetória da frente fria que deixou as temperaturas negativas, com neve e chuva congelada em vários municípios catarinenses. 

O sistema ganhou força e, inclusive, um olho no meio após às 20h30 da segunda-feira, com o centro mais quente próximo à superfície e frio em altitude. Os indicativos, de acordo com especialistas, apontam que ele provoca ventos de 80 km/h a 90 km/h. 

Já na manhã desta terça-feira (29), segundo meteorologistas da Epagri/Ciram, o ciclone no litoral do Uruguai e Sul do Rio Grande do Sul evoluiu para tempestade tropical, classificado pela Marinha do Brasil com o nome de Roani (Grande Guerreiro). 

“Este sistema, raro no inverno em áreas tão ao sul e mais frequente no verão no litoral do RJ e SP, deve apresentar trajetória sobre o oceano se afastando da costa no decorrer de quarta-feira (30) e os meteorologistas da Epagri/Ciram seguem monitorando”, explicaram em nota conjunta as meteorologistas da Epagri/Ciram, Marilene de Lima e Gilsânia Cruz. 


Meteorologistas identificam em SC maior anomalia de frio do mundo fora dos polos

O frio que atinge parte do hemisfério Sul provocou um fato inusitado. A onda polar registrada no início desta semana na região Centro-Sul do Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai traz a maior anomalia negativa de frio no mundo fora dos polos.

De acordo com o portal de meteorologia Metsul, existem áreas de temperatura abaixo da média nas Planícies Centrais dos Estados Unidos, no Norte do Canadá e na parte central da Rússia.

Contudo, em nenhum lugar do planeta as temperaturas estão tão abaixo da média, fora das regiões polares, como na parte central da América do Sul. Isso é efeito da poderosa massa de ar polar que cobre a maior parte dos países do cone Sul da América.

Por outro lado, chama a atenção as altas temperaturas registradas no Noroeste do Estados Unidos e na região de British Columbia, no Canadá. O Canadá registrou nesta segunda a maior temperatura da sua história com 46°C na localidade de British Columbia.

Igualmente, o mapa acima mostra como grande parte da Antártida está mais fria do que a média. Enquanto no Ártico a temperatura está 0,5°C acima da média, na Antártida a temperatura está 3,2°C abaixo da média. Isso contribui para que o Hemisfério Norte esteja 0,5°C acima da média, enquanto o Hemisfério Sul registre temperatura 0,5°C abaixo da média.


Reflexo no mar de SC 

A tempestade Roani deve causar muita agitação no mar do Rio Grande do Sul, com ondas altas que devem se propagar pela área oceânica. Elas devem chegar a partir da noite desta terça no litoral de Santa Catarina.

O alerta permanece para hoje e quarta-feira (30), segundo a Defesa Civil de SC. As ondas são de direção Sul e altura de 2,5 metros a 3 metros entre o Litoral Sul e a Grande Florianópolis, com picos de até 3,5 metros no Litoral Sul.

O ciclone dá condições para ventos fortes, com rajadas em torno de 80 km/h em áreas do oceano.  A Defesa Civil do Estado destaca que a combinação de maré astronômica com a agitação do mar pode causar alagamentos costeiros entre Balneário Camboriú e Itajaí, no Litoral Norte.

A tendência é que o ciclone siga se deslocando no sentido Nordeste, em direção ao litoral da região Sudeste, onde deve ir se enfraquecendo. Os modelos meteorológicos indicam que em nenhum momento o ciclone avançaria em direção ao continente na costa do Sul do Brasil, logo não projetam que toque terra.


Fenômeno incomum chama a atenção do mundo


A formação de um ciclone tropical em pleno ao mês de junho e ainda em meio a uma poderosa onda de frio causou espanto da comunidade meteorológica. Isso, porque, esses sistemas tendem a se formar sobre águas quentes, em regra com temperatura superficial do oceano de 27 °C ou mais. Agora, a temperatura do mar onde o sistema se formou está ao redor de 17 °C.

Ciclone na costa chama atenção do mundo – Foto: Epagri/Ciram/ND
Ciclone na costa chama atenção do mundo – Foto: Epagri/Ciram/ND
Ciclones tropicais tendem a se formar nos meses de verão, no final da primavera ou no começo do outono. Para especialistas, este tipo de fenômeno é uma absoluta excepcionalidade no inverno. 

No Atlântico Norte, em um século e meio de dados, foram apenas 77 ciclone subtropicais ou tropicais em dezembro (primeiro mês do inverno setentrional que corresponderia ao nosso junho) e 4 em janeiro (o equivalente ao nosso julho) e estamos quase na virada do mês para julho.

Outro ponto que chamou a atenção dos especialistas é que os ciclones tropicais tendem a se formar em meio a uma atmosfera quente e úmida. Todavia, o Roani se originou em meio a uma poderosa massa de ar polar antártica com frio muito intenso e neve até em locais pouco acostumados ao fenômeno.


    Palavras-chave
  • Imbituba
  • Garopaba
  • Laguna
  • Imaruí
  • Paulo Lopes
  • Litoral
  • Sul
  • frio
  • neve
  • geada
  • polar
  • rajadas
  • vento
  • previsão
  • tempo
  • previsão do tempo
  • mar
  • agitado
  • ciclone
  • tempestade
  • SC
  • Tweet

As melhores publicações e novidades no seu e-mail.

logo

Informações, negócios e cultura local atualizados diariamente.

Fale Conosco

48 9 9115.3099
Inbox no Facebook

portalahora@gmail.com

Localização

Imbituba - SC Brasil