Publicidade


Notícias


Pesquise


Estiagem prolongada aumenta focos de queimadas às margens da BR-101 Geral

Estiagem prolongada aumenta focos de queimadas às margens da BR-101

por Redação 31-08-2017 há 1 ano 275

  • Tweet

Publicidade

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) volta a alertar os motoristas, pedestres e moradores lindeiros da BR-101 Sul catarinense quanto ao risco de queimadas próximo das pistas e vias laterais da rodovia federal. A estiagem prolongada na região litoral do estado vem propiciando focos de incêndio, seja para limpeza de terrenos, incineração de materiais (lixo) ou pela emissão de fagulhas de escapamentos. Muitos desses focos acabam surgindo próximo das pistas duplicadas, oferecendo risco de acidentes aos usuários em trânsito.

A autarquia faz apelo constante para a manutenção da vegetação lindeira e os cuidados para evitar queimadas próximas do fluxo de veículos, porém, somados a imprudência e o clima, novos registros são notados ao longo do segmento entre Imbituba a Passo de Torres. Na terça-feira, 29, a fumaça vinda de incêndio em eucaliptos e arbustos caracterizou potencial risco de acidentes para os motoristas que trafegavam pelo km 351, em Jaguaruna. Os Bombeiros Voluntários da cidade controlaram o fogo no local.

Sem chuvas, a formação verde que serve de mecanismo para estancar processos erosivos em taludes, encostas e nos canteiros da BR-101 acaba sendo afetada, seja pelo tempo seco, seja pelos trabalhos de roçada. Principalmente as gramíneas instaladas em taludes, ou a vegetação que cobre encostas e bordos de pistas seca e se transforma em combustível para queimadas. A biomassa formada pelas gramíneas ao longo das pistas duplicadas, quando seca, fica sujeita ao fogo por conta de pequenos traços de fuligem expelido por descargas de caminhões – principalmente, por conta da potência e diâmetros dos escapes das descargas, resto de cigarro ou por ação de pessoas.

Além do material orgânico deixado pelos serviços de roçada, a vegetação nativa ou exótica que recobre os bordos da rodovia federal também sofre com a falta de chuvas. Assim, é preciso evitar a queimada de restos de lixo ou a limpeza de terrenos com uso de fogo, onde há proximidade com o tráfego dos veículos. Quem iniciar queimada está sujeito à penalização de acordo com o decreto 6.514/08, que dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente. As punições vão desde o embargo de obras ou atividades realizadas em áreas irregularmente desmatadas ou queimadas, com multas, por fazer uso do fogo em áreas de pastagem sem autorização do órgão competente ou em desacordo com autorização obtida.

Pelos dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), não há previsão de chuvas substanciais na região litorânea catarinense para os próximos dias.

ATENÇÃO REDOBRADA

O fogo nos bordos da rodovia, além de trazer riscos de queimaduras aos usuários, afeta na visibilidade das pistas. Ao avistar um foco de queimada, a recomendação é ligar para os telefones de emergência da Polícia Rodoviária Federal (191), Corpo de Bombeiros (193) ou Bombeiros Voluntários de Jaguaruna (199). 

O DNIT/SC faz constantemente campanhas para alerta dos problemas causados por incêndios lindeiros à BR-101 Sul. O tema é discutido nas oficinas de Educação Ambiental desenvolvidas pela autarquia, realizadas pelo consórcio Concremat-Tecnosolo (Gestão Ambiental).

OS RISCOS PARA QUEM TRAFEGA USANDO ACOSTAMENTOS DA BR-101 SUL/SC

Nos trechos duplicados da BR-101 Sul catarinense, os espaços destinados para acostamento devem ser utilizados em paradas necessárias. Trafegar com veículos expõe os usuários da rodovia federal ao risco de acidentes e, por isso, deve-se utilizá-lo de maneira correta, respeitando o uso desta faixa de segurança.

A parada no acostamento é indicada somente em caso de emergência, urgência ou pane mecânica/elétrica no veículo. Além de perigoso, o tráfego de veículos pelo acostamento é infração de trânsito, sendo passível de multa ao condutor. O veículo flagrado trafegando em circulação pelo acostamento é autuado por infração gravíssima, com multa de R$ 574,00 e, em caso de ultrapassagem pelo acostamento, o valor passa a ser de R$ 957,00, podendo chegar a R$ 1.915,00, caso ocorra reincidência dentro do período de até de doze meses.

Não é recomendado usar o acostamento para atender ao telefone celular. Caso seja necessário, procure um local seguro, como um posto de combustíveis. Já quando o veículo apresentar problemas e necessita usar o acostamento, é importante ligar a sinalização luminosa (pisca), indicando a parada com o triângulo-refletivo numa distância de 50 metros do local. Usar galhos de arbustos também é válido, colocando-os após o triângulo de maneira a não atrapalhar os outros usuários. Pneus e outros objetos maiores não são recomendados, pois oferecem riscos, principalmente aos motociclistas. Após sinalizar, o motorista deve entrar em contato com a PRF ou uma empresa de guinchos para retirar o veículo na via, oferecendo mais segurança aos usuários da rodovia. Para entrar em contato com a PRF o número de telefone é 191.

ATENÇÃO AOS ESPAÇOS SINALIZADOS

Outra recomendação de segurança feita aos usuários da BR-101 Sul é quanto ao trânsito por locais demarcados pela sinalização horizontal (zebrado), na saída ou entrada de obras de arte especiais, vias laterais ou acessos a municípios, bairros e locais públicos. Os motoristas devem atentar ao sentido de circulação do tráfego, orientado pela sinalização vertical, para evitar riscos de acidentes. Em paradas na BR-101 Sul, é proibido o estacionamento sobre os espaços zebrados, acessos ou vias laterais.

Retornos de pistas, somente em locais corretos – Ao acessar as vias laterais, para completar a manobra de retorno ou acesso às cidades lindeiras, os motoristas devem ter atenção à sinalização vertical indicatória para ter certeza que naquele ponto da rodovia é possível a entrada. Anterior aos viadutos, o DNIT instala painéis, com a altura das estruturas, para que transportadores de carga meçam o tamanho da carga e façam a manobra de retorno.

Nos trechos duplicados, o retorno de sentido deve ser feito sob as OAEs, liberadas. Os cuidados devem ser redobrados ao acessar as pistas sob os viadutos e passagens inferiores, observando o fluxo de veículos nas vias lindeiras, bem como a altura das estruturas. Em algumas vias laterais há tráfego de veículos em mão dupla, sendo que os usuários devem ficar atentos à sinalização vertical disposta.

Além das OAEs, a mudança de sentido nas faixas de rolagem pode ser realizada em retornos em nível, construídos em trechos duplicados da BR-101 Sul. Há retornos em nível no km 259, em Paulo Lopes, no km 344, em Tubarão, no km 406, entre os viadutos de transposição do banhado de Maracajá, e no km 460 e km 461, em Santa Rosa do Sul. Nestes trechos os motoristas devem atentar para o reingresso na rodovia, sempre paralelo à faixa destinada ao fluxo rápido de veículos.


    Palavras-chave
  • BR-101
  • Queimadas
  • cuidado
  • trânsito
  • Sul
  • Tweet

Últimas Notícias


As melhores publicações e novidades no seu e-mail.

logo

Informações, negócios e cultura local atualizados diariamente.

Fale Conosco

48 99115.3012
48 99998.8885
Inbox no Facebook

contato@portalahora.com.br

Localização

Imbituba - SC Brasil