Publicidade


Notícias


Pesquise


Decisão do Tribunal de Justiça confirma que investigação de mortes de civis por PMs em serviço é exclusiva da Polícia Civil Segurança

Decisão do Tribunal de Justiça confirma que investigação de mortes de civis por PMs em serviço é exclusiva da Polícia Civil

por Redação 15-05-2018 há 1 semana 144

  • Tweet

Publicidade

Em consonância com manifestação do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) decidiu que oficiais da Polícia Militar podem ser julgados por insubordinação se desrespeitarem a Portaria da Secretaria de Segurança Pública que estabelece como competência da Polícia Civil a investigação de mortes de civis provocadas por policiais militares em serviço.

A decisão foi proferida em pedido de Habeas Corpus preventivo requerido pela Associação dos Oficiais Militares do Estado de Santa Catarina (Acors) para evitar que os oficiais sejam responsabilizados criminalmente se conduzirem diretamente as investigações de mortes de civis provocadas por militares em serviço.

Argumentava a Acors que a conduta dos oficiais da Polícia Militar em promover o inquérito penal militar para apurar casos de morte de civis por policiais em serviço seria legal e, portanto, não caberia a instauração de investigação contra os oficiais que assim procedessem, como ocorreu em três casos concretos apresentados no pedido.

No curso do processo do pedido de Habeas Corpus, a Acors obteve, por decisão monocrática, medida liminar para suspender os procedimentos instaurados contra os três oficiais citados nos casos concretos. Porém, acompanhando o entendimento do Ministério Público, no julgamento do mérito do pedido, a Segunda Câmara Criminal do TJSC revogou a liminar concedida e negou o Habeas Corpus preventivo almejado.

Para o Ministério Público, que se insurgiu contra a medida liminar por meio de sua Coordenadoria de Recursos Criminais (CRCrime), os crimes dolosos contra a vida praticados por policial militar contra civil têm natureza de crime comum, a serem julgados perante a justiça comum, no âmbito do Tribunal do Júri.

“Não é demais destacar que o inquérito policial militar se destina a apurar, exclusivamente, infrações penais de natureza militar, dentre as quais não estão inseridos os crimes dolosos contra a vida cometidos por militar contra civil”, ressaltou o coordenador da CRCrime, procurador de justiça Jorge Orofino da Luz Fontes.

Destacou o MPSC, ainda, que a Portaria nº 195/GABS/SSP, de 23-06-0217 estabeleceu ser a Polícia Civil competente para conduzir inquérito nos casos de ocorrência de morte de civil provocada dolosamente por militar estadual em serviço.

Assim, desrespeitar o estabelecido pela Portaria caracteriza atos de insubordinação pelo não cumprimento de ordem superior e recusa expressa em obedecer a ordem direta sobre matéria de serviço imposta por lei e por ato administrativo, devendo a ilegalidade ser apurada por meio do devido processo penal militar e administrativo.

A Segunda Câmara Criminal do TJSC decidiu, então, por maioria de votos, negar a concessão do Habeas Corpus preventivo e revogar a liminar anteriormente concedida. Cabe recurso da decisão. (Processo nº. n. 4021559-09.2017.8.24.0000).

 DELEGADO REGIONAL DE LAGUNA COMENTA A DECISÃO:

 O delegado da 18ª Delegacia Regional de Polícia de Laguna, Raphael Johann Giordani, responsável pelas delegacias de Laguna, Garopaba, Imaruí, Imbituba, Paulo Lopes e Pescaria Brava e pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Laguna e Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI), também de Laguna, disse à reportagem do Portal Ahora que a  decisão do TJSC foi recebida com respeito, "mas sobretudo com esperança do fiel cumprimento de clausula constitucional já prevista, que diz expressamente que os crimes contra a vida de civis praticados por militares estaduais será de competência do Tribunal do Júri" 

Segundo ele, a decisão o TJSC concordando com a manifestação do Ministério Público vem a pacificar uma normativa expressa na Constituição Federal, "assegurando, portanto, uma maior segurança jurídica aos órgãos da persecução, bem como a todos os cidadãos".

    Palavras-chave
  • PM
  • Polícia Civil
  • Ministério Público
  • TJ
  • decisão
  • crimes
  • civis
  • Tweet

Últimas Notícias


As melhores publicações e novidades no seu e-mail.

logo

Informações, negócios e cultura local atualizados diariamente.

Fale Conosco

48 99115.3012
48 99998.8885
Inbox no Facebook

contato@portalahora.com.br

Localização

Imbituba - SC Brasil