Publicidade


Notícias


Pesquise


Greve Geral desta sexta-feira na região promete ser forte: Saiba o que não irá funcionar em Imbituba e Laguna Geral

Greve Geral desta sexta-feira na região promete ser forte: Saiba o que não irá funcionar em Imbituba e Laguna

por Redação 27-04-2017 há 1 ano 207

  • Tweet

Publicidade

As Centrais Sindicais convocaram uma greve geral de trabalhadores para esta sexta-feira (28) em todo o país em protesto contra as reformas Trabalhista e da Previdência que tramitam na Câmara dos Deputados, a primeira já aprovada e que segue agora para o Senado e a segunda que será apreciada pelos deputados federais já nas próximas semanas.

A greve geral foi organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que têm participação de diversos movimentos sociais e entidades como por exemplo a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) da igreja Católica.

Bancários, metroviários e motoristas de ônibus de São Paulo, professores da rede pública, petroleiros e servidores de várias regiões do Brasil já anunciaram sua adesão à paralisação nacional. Aeronautas decidirão sua participação na greve nesta quinta – mas não devem parar totalmente. Professores de escolas particulares, em São Paulo, no Rio e Fortaleza, se somaram ao protesto, com apoio de parte das diretorias.

Muitas categorias profissionais, inclusive na região de Laguna e Imbituba já confirmaram a adesão à paralisação nacional, enquanto outras agendaram assembleias até a noite desta quinta-feira (27) para decidir se vão paralisar as atividades ou não.



A Secretaria de Comunicação da Presidência da República não quis comentar a mobilização. Em diversas ocasiões, Temer disse que as reformas são necessárias para o país voltar a crescer e retomar a geração de empregos. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, chegou a dizer que sem a reforma da Previdência o Brasil pode “quebrar”. Sobre a reforma trabalhista, Temer tem dito que é necessário modernizar as normas que regem as relações de trabalho.

Apesar do aparente clima de normalidade no Palácio do Planalto, é notória a preocupação do Governo com o movimento que “promete parar o Brasil” e ao que tudo indica, irá parar.

IMBITUBA, LAGUNA E REGIÃO MOBILIZADA PARA A GREVE

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Laguna (Sinte), que representa a categoria em Laguna, Imbituba, Imaruí, Pescaria Brava, Garopaba e Paulo Lopes, o Sindicato dos Bancários de Laguna (SEEB Laguna), que representa os bancários de Imaruí, Imbituba e Laguna, o Sindicato dos Estivadores de Imbituba e os servidores municipais, também de Imbituba, assinalaram pela participação na Greve Geral, após assembleias realizadas esta semana.

O presidente do Sindicato dos Bancários, Luiz Francisco Cardoso, informou que as agências bancárias de Laguna, Imbituba e Imaruí não abrem amanhã para atendimento ao público. Em Imbituba, as agências da Caixa Federal, Banco do Brasil, Itaú e Bradesco estarão abertas apenas nas salas de autoatendimento.

O coordenador do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, Rudmar Corrêa, declarou que mais de 80% das escolas estaduais da regional de Laguna devem parar, apesar da secretaria de Estado da Educação ter mantido a sexta-feira como dia normal de aula. As creches municipais de Imbituba também irão parar. Contudo, professores e alunos da rede estadual devem participar das manifestações que acontecem em Imbituba e em todo o Brasil.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Imbituba (Sintrasim), Luís Paulo Passos, disse que os servidores de todas as áreas do funcionalismo estão mobilizados para a Greve – profissionais da Saúde, professores municipais e demais trabalhadores do serviço público. Luís Paulo garantiu que não haverá qualquer perda para os servidores que decidirem participar das manifestações desta sexta-feira.



ESTIVADORES CRUZARÃO OS BRAÇOS

O Sindicato dos Estivadores de Imbituba também confirmou a participação na Greve Geral; a categoria estará mobilizada durante esta sexta-feira, em frente à entrada principal do Porto.

VARA DO TRABALHO DE IMBITUBA IRÁ PARAR

A diretoria da 30ª Subseção de Imbituba da Ordem dos Advogados do Brasil em comunicado também informou aos advogados que no dia 28 de abril a Vara do Trabalho do município irá aderir ao protesto contra as reformas da Previdência e trabalhista. Embora a pauta de audiências esteja mantida, elas não ocorrerão, informou o órgão.

LINHAS MUNICIPAL E INTERMUNICIPAL DA SANTO ANJO FUNCIONARÃO NORMALMENTE

A direção da empresa Santo Anjo, concessionária do serviço de transporte coletivo de Imbituba, declarou que o funcionamento do transporte será normal durante o dia de protesto. A empresa confirmou também que as linhas intermunicipais funcionarão dentro do cronograma.

CORREIOS JÁ ESTÃO EM GREVE QUE SERÁ INTENSIFICADA NA PARALISAÇÃO NACIONAL

Os trabalhadores dos Correios decidiram entrar em greve a partir das 22h de quarta-feira (26), segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect). A paralisação, segundo a entidade, é por tempo indeterminado, caso as negociações não avancem. A greve é contra a privatização, demissões e retiradas de direitos, além do fechamento de mais de 200 agências no país, segundo a Fentect.

A agência dos Correios de Imbituba aderiu parcialmente à Greve; dos oito carteiros que atendem o município, 4 estão parados. Agência continua abrindo em horário normal, mas com número reduzido de funcionários trabalhando. Para esta sexta-feira de Greve Nacional, a previsão é de que os trabalhadores dos Correios intensifiquem ainda mais a adesão e é possível que a agência não abra para atendimento ao público.

PROTESTOS EM IMBITUBA E LAGUNA

Apesar da grande concentração de protestos ficar centralizada nas capitais brasileiras, nesta que deve ser a maior paralisação geral da história recente do Brasil, foram agendadas manifestações em todos os municípios do país.

Os sindicatos da região envolvidos no movimento organizaram atos de protesto e passeatas em Laguna e Imbituba.

Em Laguna, os trabalhadores estarão concentrados em frente à Igreja Matriz Santo Antônio dos Anjos de onde saem às 9h em passeata pelas ruas do Centro Histórico da cidade juliana, distribuindo panfletos e alertando os lagunenses sobre a gravidade dos atos políticos do governo Temer e o perigo da aprovação pelo Congresso das reformas trabalhista e da Previdência.

Em Imbituba, a concentração acontece em frente à Escola Estadual Eng.º Annes Gualberto, no bairro Paes Leme, a partir das 13h30, de onde os manifestantes saem em direção ao Centro da cidade até a Câmara de Vereadores. No local, os trabalhadores irão pedir o apoio dos parlamentares de Imbituba e da sociedade no sentido de impedir a tramitação e aprovação das reformas impostas pelo governo federal.

BISPO CONVOCA FIEIS PARA SE UNIREM AOS MANIFESTANTES

Outras escolas católicas aderiram, apoiadas na orientação da CNBB. Várias lideranças da Igreja decidiram se manifestar abertamente. O bispo da diocese de Santarém, no Pará, dom Flavio Giovanele, por exemplo, gravou um vídeoconvocando os fieis a se unirem ao protesto. “Convido todos a participar [da greve], com ordem e sem bagunça, pois se se quer um Brasil de paz, é preciso manifestações pacíficas, mas também manifestando com firmeza qual é a nossa posição especialmente em relação à reforma da Previdência e trabalhista”.

 Esta será a primeira manifestação contra o Governo desde que as delações da Odebrecht vieram à tona e implicaram ainda mais integrantes do primeiro escalão de Temer e o próprio presidente. Organizada pelas maiores centrais sindicais do país, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical, o ato se voltará contra o combo das reformas da Previdência e trabalhista proposto pelo Planalto.


    Palavras-chave
  • greve
  • imbituba
  • laguna
  • Tweet

Últimas Notícias


As melhores publicações e novidades no seu e-mail.

logo

Informações, negócios e cultura local atualizados diariamente.

Fale Conosco

48 99115.3012
48 99998.8885
Inbox no Facebook

contato@portalahora.com.br

Localização

Imbituba - SC Brasil